Imprimir

Apolo lança álbum com participação de Criolo, Ogi, D-Pinot, Marechal, Rashid, Terra Preta, Jota 3 e Akira Presidente

Escrito por Marcelo em . Postado em Músicas

A nova fase do MC é marcada por “Apologia” que conta com 13 faixas e participações de grandes nomes do rap nacionalDesde que os integrantes decidiram pausar o coletivo Pentágono, Apolo trabalhou com afinco para dar vida ao seu primeiro som solo. E para coroar esse novo momento de sua carreira, o músico prepara-se para lançar Apologia, que conta com 13 faixas e participações de Ogi, D-Pinot, Criolo, Marechal, Rashid, Terra Preta, Jota 3 e Akira Presidente.

Em 2011, o tempo de Apolo dentro do estúdio era dividido entre o processo de trabalhos de outros artistas e a realização do seu sonho. O álbum foi gravado no estúdio de Apolo em São Paulo e do produtor Felipe Gama, em Vitória, com quem assina a produção do Apologia. Com letras atemporais e que ilustram o aprendizado do MC através da cultura hip hop, o disco traz uma rica musicalidade e reverencia tanto as gerações que já passaram, como as que ainda estão por vir. “Não me apeguei a tantas regras e moldes, eu fiz algo com sentimento. E eu acredito que é isso que toca as pessoas”, comenta Apolo.

As composições apresentam letras que refletem as complexidades da vida com temáticas variadas pelo olhar do músico sobre o amor, a família, a música, a sociedade e as lembranças. Fato que pode ser notado logo de cara com a faixa “Brinde”, que carrega a força da celebração da vida. Essa emoção aparece na maioria das canções, com a positividade de quem espera um mundo melhor e que as pessoas comemorem as pequenas conquistas. Ao mesmo tempo que músicas como “Noite” e “Respeito” remetem aos beats e ideias mais clássicas, “Não vacila“ e “Vai” trazem novas experimentações musicais, construindo uma consistência sonora bem interessante. A ideia de Apolo é que as histórias se completem, contrapondo a cultura do single. “Não é um disco de um momento só e nem para um momento só. É um trabalho pra escutar inteiro. E eu espero que as pessoas o escutem assim e que absorvam a mensagem da melhor maneira possível e com as melhores intenções, porque foi assim que eu o fiz”, diz o músico.

Após diversos shows com o Pentágono, uma turnê pela França e quatro discos lançados, o rapaz se vê mais maduro e pronto para dar mais esse passo na vida profissional: “Hoje eu me sinto preparado pra fazer esse disco. Mais seguro. Acho que por isso, eu demorei tanto pra fazer. Nesse tempo de carreira eu gravei muitas pessoas. Graças a Deus, muita gente boa, que me ensinou. Porque produzir e gravar, é também uma troca”, finaliza o artista.

Ouvir álbum: https://www.youtube.com/user/ApolooriginalVEVO/

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar