Imprimir

Inquérito lança “Corpo e Alma”, faixa-título de seu novo álbum

Escrito por Marcelo em . Postado em Informativo

Iquerito e EmicidaO rapper Emicida assina como produtor executivo do quarto disco do grupo, que traz ainda KL Jay, Rael, Ellen Oléria, Natiruts, Arnaldo Antunes e Roberta Estrela D’Alva

“Um trabalho intenso e sincero, feito com todo o coração de quem ama o hip-hop.” Esta é  a  definição  do  rapper  Emicida  sobre  Corpo  e  Alma,  novo  álbum  do  grupo  Inquérito, trabalho  em  que  atuou  como  produtor  executivo.  Diante  dessa  afirmação,  fica  difícil esperar  para  apertar  o  play  e  ouvir  logo  o  disco  todo.  Uma  prévia  que  já  pode  ser conferida  é  a  canção  que  leva  o  mesmo  nome  do  disco,  lançada  nesta  semana  e disponível para download, e que vem acompanhada de um webvídeo.

A síntese do novo trabalho, que marca 15 anos de trajetória do grupo e o quarto álbum, traduz o sentimento do  letrista  e  criador  do  grupo,  Renan  Inquérito:  “Não  são  apenas três minutos de música. São muitas coisas conquistadas e muitas outras ainda para se conquistar. Eu gosto dessa fase, desse amadurecimento da poesia, que dialoga com o bairro, mas também grita para o mundo”. 

A  canção  “Corpo  e  alma”,  que  teve  produção  de  DJ  Duh,  da  GrooveArts,  traz  a participação  de  um  quinteto  de  metais  e  do  próprio  Emicida,  que,  de  acordo  com Renan,  foi  um  ‘entusiasta’  do  álbum  e  fundamental  para  o  andamento  do  mesmo.  “A ideia de fazer o disco veio de uma longa conversa com o Leandro (Emicida). Ele foi um

parceiro, um entusiasta, e ajudou em todos os processos. Nós sabíamos que ele estaria no disco de uma forma ou de outra e, quando a música ficou pronta, antes mesmo de ela dar nome ao disco, sentimos que a energia que ela transmitia era exatamente a que  queríamos  passar.  Aí,  foi  natural:  a  canção  virou  single,  virou  título  do  álbum  e  sintetizou todo o trabalho”, completa.

“Esse som é o resultado de uma pesquisa musical em que tentamos unir o eletrônico e o orgânico,  o  clássico  e  o  contemporâneo,  o  sample  e  os  metais,  com  uma  poesia madura  na  letra,  com  levada,  métrica,  técnica…  Mas,  acima  de  tudo,  com  muito coração,  porque  antes  pensamos  muito  em  cada  detalhe,  mas  na  hora  da  execução quem dirige é a alma!” Afirma Renan Inquérito.

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar