Imprimir

Drik Barbosa e Slam das Minas SP unem música e poesia com o lançamento de “Trincheira #elassim”

Escrito por Marcelo em . Postado em Informativo

Drik Barbosa e Slam das Minas SP unem música e poesia com o lançamento de “Trincheira #elassim”A artista Drik Barbosa e o Slam das Minas SP, um dos grupos que promovem e protagonizam batalhas poéticas mais respeitados do país, lançam juntas o single “Trincheira #elassim” – primeira experiência musical do coletivo -, acompanhado de videoclipe, pela gravadora Laboratório Fantasma (https://www.youtube.com/watch?v=QjqmuPw3NGk). A música que foi gravada no mais novo estúdio da LAB Fantasma o "Lab Estúdio", e transmite uma mensagem que fortalece e apoia a fala feminina como elemento de proteção. A novidade chega como resultado da mistura entre poesia e música, e comemora os três anos de existência do Slam.

O Slam das Minas SP possui um discurso poético de luta contra o machismo, racismo e homofobia, ao mesmo tempo em que facilita pautas feministas e das mulheres de periferia. É caracterizado como um desabafo contra o patriarcado, e garante um lugar seguro para que mulheres possam se expressar livremente. Surgiu em 2015, em Brasília, e ganhou novas vozes em São Paulo em 2016, com organização de Mel Duarte, Jade Quebra, Pam Araújo, Carolina Peixoto e Luz Ribeiro.

A composição da música aconteceu de modo que cada uma ficou responsável por uma parte. A ideia central foi relacionar palavra e proteção, e a partir daí falam sobre o que significa proteção para si, e a relação que têm com a palavra – desde a importância da poesia, como o caso do Slam, até a música, como é o caso da Drik. “Cada parte tem bastante da história de cada uma; uma própria identidade. Por meio disso, apresentamos a relação da mulher com a palavra”, explica Pam Araújo. No refrão, todas cantam juntas.

A sonoridade, por sua vez, assim como a composição, é uma mistura de personalidades, e segue o ritmo mais próximo de cada compositora em sua fala. Traz brasilidade, rap, funk e instrumentação de religião de matriz africana. “Os diferentes beats também estão associados à identidade de cada pessoa, em cada uma das partes, e reforça o significado pessoal da palavra”, diz Jade Quebra. “Não tínhamos pretensão de gênero musical, fomos descobrindo dentro da própria poesia. Achamos que foi bastante experimental”, acrescenta Luz Ribeiro.

Julio Feijuca, produtor musical responsável ao lado de Grou, comenta o processo de criação: “fizemos juntos tudo do zero, sempre respeitando as preferências e o que cada uma esperava da música, o que personalizou bem o trabalho final. Foi muito gratificante trabalhar com elas”.

A música será lançada dia 04 de outubro em todas plataformas de streaming, junto com videoclipe no canal de Youtube da Laboratório Fantasma, e celebra uma collab entre o próprio Laboratório e o Slam, onde lançam juntos uma coleção cápsula, composta por cinco itens: camiseta, cropped, calça de moletom, t-shirt dress, body e boné, que estarão a venda no E-coomerce  da Lab Fantasma.

“Pretendemos chegar em outros lugares com a poesia e com a nossa mensagem, e essa collab é bastante importante para nós pois nos possibilita ocupar um espaço que não tínhamos alcançado, que é a moda”, finaliza Pam Araújo.

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar