Imprimir

Rap no Interior Baiano? É sim, de verdade!

Escrito por Marcelo em . Postado em Informativo

Rap no Interior Baiano? É sim, de verdade!Com crônicas afiadas na composição, uma voz marcante e uma levada fora do padrão, o baiano Jotão Mc, 20 anos, chega com sons pesadíssimos na cena. Suas músicas descrevem como é viver no interior de seu estado sendo um jovem sente na pele o descaso do estado, além de trazer na letra novos modos de enxergar a realidade em geral. O nordeste não para de gerar talentos, e agora prova que o amor pelo rap não se limita as capitais. Para quem sente falta de um som daqueles cantados com a alma que põe o sujeito pra refletir, o som desse cara é um prato cheio. Abordando desde a malandragem das ruas até uma ampla visão espiritual.

Nativo de Itapetinga (pequena cidade no interior baiano com aprox. 75 mil habitantes), o artista cujo nome de batismo é Joaquim Sampaio, começou no rap através das rodas de Freestyle organizadas entre amigos 2016.  No curto período de 2 meses que morou em Vitória da Conquista (cidade polo da região com aprox. 350 mil habitantes) foi duas vezes campeão da Chapahalls e 1 da Juventude, importantes batalhas de mc da cena local. Seus 2 singles lançados estão na ponta da língua do público. O artista baiano também é ativista cultural, envolvido na organização do Encontro da Juventude, evento em Itapetinga que promove uma confraternização de tribos, com shows de reggae, rap e rock, alem da participação de grafiteiros  e b-boys. Membro da ASBI (Associação de Skate e Bmx de Itapetinga) ele também milita pela construção de uma pista de qualidade e valorização desses esportes na cidade. Também se apresenta em eventos gratuitos para comunidades carentes, como os que ocorreram ano passado no Bruno Bacelar e na Comunidade das Pedrinhas, verdadeiras favelas em Vitória da Conquista.

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar