Imprimir

Rica Silveira ao vivo na 89FM A Rádio Rock - Confira o vídeo report

Escrito por Marcelo em . Postado em Internacional

Rica Silveira ao vivo na 89FM A Rádio Rock - Confira o vídeo reportNa quinta feira passada, o Rica Silveira (Santos) esteve ao vivo no programa Heavy Pero No Mucho da 89FM em São Paulo, levando o rap da Baixada Santista para a maior rádio rock do Brasil, em uma entrevista descontraída que durou mais de meia hora, o rapper da cidade de Santos ainda teve a oportunidade de cantar a música inédita Tudo que pode acontecer ao vivo no formato acústico e improvisar algumas rimas no ar. Com grande interação do público, a rádio atingiu primeiro lugar em audiência no horário, confira abaixo o vídeo report que mostra um resumo de tudo que rolou, desde a subida de Santos para a capital, assim como os bastidores da rádio e etc...

Imprimir

Namaha lança o videoclipe da música: Uma hora e meia

Escrito por Marcelo em . Postado em Internacional

Namaha - Uma hora e meiaNamaha é um rapper de São Paulo nascido na zona norte que desde 1999 tá atuante na cena rap, sempre com letras que falam do cotidiano do jovem dando uma ênfase à população preta.

Sua carreira começou no grupo C.A.R."Comando ativista rap" com o término desse grupo passou a escrever junto com Flávio e Bolt dando origem a primeira formação do Namaha, após algum tempo a Deejay Simonne Lesdena passou a fazer parte desse time tbm. Com essa formação gravaram o seu primeiro vídeo clipe oficial, É na balada, o qual que conta com a participação especial do rapper Thig ex Relatos da invasão, com o fim dessa formação Diogo decidiu continuar com o seu legado sozinho.

Com uma nova perspectiva e rimas mais apuradas devido a experiência adquirida Namaha ressurge com uma pitada de Dance hall /Ragga Muffin trazendo muitas mensagens positivas, críticas ao sistema mas também falando de alegria, nesse novo trabalho Uma hora  e meia ele homenageia a mulher Preta brasileira que por muitas vezes passam despercebidas e são preteridas por muitos inclusive por muitos MC's.

Imprimir

Marvin lança a música Piores Linhas. Confira

Escrito por Marcelo em . Postado em Internacional

Piores LinhasO projeto "Ouvir e Usufruir" é um trabalho do Mc Marvin integrante do grupo Two Sides Rap (Criado em 2015 em Londrina - Paraná). Atualmente o Mc reside em Taubaté - São Paulo e deu inicio ao seu trabalho solo com um projeto de 3 faixas, a primeira faixa, lançada dia 3 de fevereiro é a faixa "Dezesseis" e a segunda, lançada dia 17 de fevereiro chama-se Piores Linhas "Piores Linhas", traz uma critica sob seu ponto de vista do mundo e da sociedade em que vivemos e apesar do nome do single, o Mc garante que foi de longe as melhores melhores linhas q ele ja escreveu até o momento, mas também deixa claro que é só o começo.

Imprimir

Azizi MC acaba de lançar web-vídeo. Confira

Escrito por Marcelo em . Postado em Internacional

Azizi MC acaba de lançar web-video interpretando versos do Azizi (ou "xxaxx") é um jovem belo-horizontino de 21 anos, rapper e artista visual, que se destaca no cenário do Hip-Hop por trazer a tona as questões do universo LGBTQ em suas composições. Seus trabalhos se iniciaram em 2015 com o lançamento do disco "Desafio Duplo" encabeçado pelo single "Agressive Spit" produzido e lançado de forma independente pelos estúdios Concatena e Produto Novo. Nessa época Azizi era conhecido com 'Izaque Bohr' (seu antigo alter-ego) e a partir do ano passado tornou a usar seu nome de MC. Em sua trajetória o rapper participou de diversos eventos culturais em Minas Gerais como a Semana Hip Hop de BH (2015 e 2016), Duelo de Vogue vs Duelo de Mcs (2015), Festival de Cenas Curtas no Galpão Cine Horto (2016) e Temporada Festival de Arte Negra (2016) e possui faixas nas coletâneas 'Ano Dois' da Produto Novo e 'Volume I' da Gangstar Klam, além de colaborações em discos de outros artistas. Atualmente ele é integrante do coletivo 'Projeto Periféricxs' no qual também foi idealizador. xxaxx trás minunciosamente em suas performances os diálogos de sua militância enquanto negro, gay e periférico, fazendo uma critica as opressões do sistema e exclusões sociais que vivencia em seu cotidiano.